COE estreita contato com universidades para desenvolvimento de pesquisa

A Unidade da PMSE busca parcerias com cursos de engenharia mecânica, mecatrônica, psicologia e pedagogia

 

O Comando de Operações Especiais da Polícia Militar do Estado de Sergipe (COE) vem estreitando relações com universidades e instituições de ensino técnico do estado, a fim de definir convênios e estimular a pesquisa científica. Um exemplo dessa integração é o trabalho realizado em parceria com o setor de Educação Física do Instituto Federal de Sergipe (IFS), em Aracaju, em que os operadores do COE são submetidos a testes de Bioimpedância, para avaliação da bioquímica corporal e esses testes orientam os treinamentos físicos da unidade.

Outro exemplo foi a parceria realizada entre o COE e o Curso de enfermagem da Universidade Tiradentes (Unit), que possibilitou a realização de produção científica no acompanhamento da saúde dos operadores e incentivo a um estilo de vida mais saudável no seio da tropa.

“Temos interesse na realização de parcerias com cursos de engenharia mecânica e mecatrônica, para desenvolvimento de ferramentas e aparelhos que nos ajudem na atividade contra bombas, como braços manipuladores de explosivos, kits de linhas e ganchos para remoção de artefatos, dentre outras formas de tornar nossa atuação mais segura”, frisa capitão Weniston, comandante do COE.

O COE é uma unidade que tem como premissa o desenvolvimento constante de suas técnicas e táticas para melhor servir e proteger a sociedade sergipana em ocorrências de alto risco. Tal desenvolvimento deve estar sempre baseado em estudos, treinamento rigoroso e uso de tecnologias. “Precisamos estar sempre um passo à frente da criminalidade, seja nas formas de combater, nos equipamentos que utilizamos ou na nossa metodologia de treinamento”, citou o capitão Calaça, subcomandante do COE.

O fomento de pesquisa junto às universidades públicas e privadas é essencial para esse processo de evolução, uma vez que o COE precisa estar amparado pela melhor estrutura possível de atuação, sendo assessorado por profissionais de diversas áreas, a fim de promover solução para questões técnicas e pedagógicas.

Além disso, o Comando de Operações Especiais possui como uma de suas premissas a responsabilidade de disseminar conhecimento para toda a segurança pública, utilizando, para isso, dos mais variados processos pedagógicos existentes. “Aqui nós temos a responsabilidade de ensinar a todo o momento, e isso demanda que estejamos atualizados e aptos para utilizar as melhores ferramentas pedagógicas disponíveis”, frisou o cabo Jamysson, atirador de precisão do COE.

Ainda segundo o cabo, parcerias entre o COE e pesquisadores da área de pedagogia e psicologia poderiam fomentar o desenvolvimento de melhores formas de ensino para a segurança pública do Estado de Sergipe.

“Ciência e segurança pública devem andar juntos sempre, pois o retorno social é interesse básico de todos e o estado apenas tem a ganhar com isso. Queremos nos manter na vanguarda da atuação tática e para isso precisamos de investimento e parcerias com instituições sérias, também comprometidas com a segurança pública e o bem-estar social”, completou o capitão Calaça.

 

Ascom/SSP

14 de maio de 2019|COE, Especializadas, Notícias|