Companhia de Caatinga comemora dez anos de existência

A Companhia Independente de Operações Policiais em Área de Caatinga (CIOPAC), popularmente conhecida como a “Polícia da Caatinga”, completa dez anos de existência nesta quarta-feira, 16, e comemora a redução considerável dos índices de criminalidade no Alto e Médio Sertão, principalmente, no tocante aos crimes envolvendo roubos de gado, roubos a bancos, pistolagem, tráfico de drogas, dentre outras modalidades criminosas.

Em uma década de trabalho, a Unidade Especializada tornou-se referência na aplicabilidade do policiamento no Sertão sergipano, tanto pela seriedade quanto pelo compromisso daqueles que ostentam o uniforme camuflado multicam, uniforme este que se camufla com o bioma do cenário árido. Seus integrantes pautam suas ações através das seguintes virtudes: “honra, lealdade, disciplina e respeito”, bases fundamentais para o fortalecimento da hierarquia e disciplina militar.

A Companhia foi criada pela Polícia Militar de Sergipe (PMSE) em 16 de maio de 2008, inicialmente intitulada “Pelotão Especial de Policiamento em Área de Caatinga (PEPAC)”, com o objetivo de combater os ilícitos penais que assolavam a população residente no Sertão sergipano. E iniciou suas atividades com um efetivo composto por vinte policiais militares, após os mesmos terem concluído o I Curso de Operações Policiais em Área de Caatinga (I COPAC). Na ocasião, contava com três viaturas tipo caminhonete, a fim de cumprir sua missão constitucional.

Ao longo dos anos, outros cursos foram realizados e o efetivo foi crescendo, diante da demanda territorial e da necessidade de ações mais eficazes no combate a criminalidade.

Com o aumento do efetivo, o então Pelotão Especial de Policiamento em Área de Caatinga (PEPAC) foi elevado de categoria e passou a denominar-se Companhia Independente de Operações Policiais em Área de Caatinga (CIOPAC), por meio da Portaria Normativa nº 033/2016-GCG, datada de 23/02/2016.

Atualmente, o efetivo da CIOPAC é composto por 72 policiais militares, todos os detentores do Curso de Operações Policiais em Área de Caatinga (COPAC). Além dos 72 PM’s, há oito integrantes da Unidade servindo à Força Nacional de Segurança Pública, sendo três sargentos, três cabos e dois soldados. A Companhia conta com quatro viaturas operacionais, tipo caminhonete, que atendem ocorrências e realizam patrulhamentos nas áreas rurais e urbanas, sob sua responsabilidade.

Para integrar os quadros da Companhia de Caatinga da PMSE, o militar deve possuir, obrigatoriamente, COPAC, curso este, realizado em um período de dez dias, onde o concludente é julgado apto a atuar em ocorrências de alta complexidade em uma das áreas mais inóspitas do mundo, que é o Semiárido nordestino. Além disso, o candidato a servir nessa Unidade Especializada deve demonstrar o perfil de um verdadeiro “Guerreiro de Caatinga”, fato observado ao longo do curso, bem como possuir conduta pessoal e profissional ilibada.

 Área de atuação

A Companhia de Polícia de Caatinga atua diuturnamente nas áreas rurais e urbanas que compreendem o Alto e Médio Sertão sergipano, abrangendo 14 municípios: Aquidabã, Canindé do São Francisco, Carira, Cumbe, Feira Nova, Gararu, Graccho Cardoso, Itabi, Monte Alegre, Nossa Senhora da Glória, Nossa Senhora das Dores, Nossa Senhora de Lourdes, Poço Redondo, e Porto da Folha, bem como atua em outras regiões do Estado, conforme diretrizes dos grandes comandos.

 A Sede está situada na cidade de Nossa Senhora da Glória e a Base Avançada, no Povoado Vaca Serrada, município de Porto da Folha, localizações escolhidas estrategicamente por serem considerados pontos favoráveis ao desencadeamento de respostas rápidas, no atendimento às ocorrências de grandes complexidades em áreas rurais.

A CIOPAC é diretamente subordinada ao Comando de Policiamento Militar do Interior (CPMI) e tem como atual comandante o major Joaldo Vicente do Nascimento, que substituiu o ex-comandante capitão Manoel Alves de Oliveira Santos, falecido em 04 de abril de 2018, vítima de uma emboscada homicida, fato ocorrido na Rodovia que liga a cidade de Monte Alegre a Porto da Folha. O subcomandante é o capitão Fabrício Almeida Santos, um dos fundadores e idealizadores da Companhia, juntamente com o saudoso capitão Oliveira.