Diretriz Operacional 006/CPMC – Atualização 03-01-2015

 

POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SERGIPE

COMANDO DO POLICIAMENTO MILITAR DA CAPITAL

 

DIRETRIZ OPERACIONAL 006/CPMC

  

Padroniza confecção de Relatório de Ocorrência Policial – ROP no âmbito do CPMC.

 Considerando que a confecção dos ROP de forma manuscrita tem causado dificuldade de entendimento das informações transcritas pela guarnição de serviço;

Considerando que o modelo atual dificulta a tabulação dos dados para efeito de análise criminal;

Considerando a necessidade de adequação dos campos constantes no ROP as demandas de informação da SENASP;

Considerando a necessidade de padronizar procedimentos operacionais referentes à confecção de ROP no âmbito do CPMC;

Considerando a necessidade de minimizar a permanência das viaturas de serviço nas delegacias;

O Comandante do CPMC, no uso de suas prerrogativas legais que lhe são conferidas:

 

RESOLVE:

 

Art. 1º. Todas as Unidades e Subunidades subordinadas a este comando deverão registrar as ocorrências policiais de forma digitalizada, nos modelos disponíveis no anexo desta diretriz;

 

  • 1º – As guarnições poderão ter acesso aos modelos no Site da PMSE, ou as unidades deverão providenciar dispositivos de armazenamento móvel, contendo os arquivos.
  • 2º- Na impossibilidade do registro digitalizado a guarnição deverá confeccionar o ROP de forma manuscrita, devendo utilizar letra legível e sem rasuras que dificultem o entendimento do registro, devendo ser utilizado o mesmo modelo de ROP.

 Art. 2º. Os ROP’s Deverão ser impressos em 03 (três) vias ficando 01 (uma) na Delegacia, 01 (uma) na unidade da guarnição e a última com o policial responsável pela confecção do ROP.

 

Art. 3º. Quando do encaminhamento das ocorrências as delegacias de área e plantonista as guarnições deverão permanecer o mínimo de tempo necessário para confecção do ROP, apresentação dos materiais apreendidos e pessoas conduzidas e serem ouvidos pelo Delegado.

  • 1º – A ocorrência só deverá ser apresentada após o devido preenchimento do ROP, que deverá ocorrer em computador destinado pelas delegacias para este fim ou na ausência em unidade mais próxima da ocorrência.
  •  2º- Os policiais militares deverão ser os primeiros a serem ouvidos na ocorrência, não devendo esperar vitimas, nem partes para retornarem a área de serviço
  •  3º- A guarnição deverá dar ciência ao CIOSP do horário que deu entrada e saída da delegacia.

Art. 4º. Os Oficiais Superiores de Dia ao CIOSP deverão registrar em relatório todas as ocorrências que são conduzidas a delegacia fazendo constar as informações constantes no § 3º do artigo anterior.

 Art. 5º. Esta diretriz entrará em vigor a partir de 09 de janeiro de 2015

 

Aracaju, SE em 03 de janeiro de 2015

  

Jackson Santos do Nascimento – CEL QOPM

Chefe do CPMC

   

 

 

(ANEXO)

MODELO ROP – Word

MODELO ROP – BRoffice