Militares do COE ministram instrução sobre explosivos para peritos da SSP/SE

 

Na manhã desta quinta-feira, 22, policiais militares do Comando de Operações Especiais (COE) iniciaram a ministração de instruções sobre materiais explosivos para peritos criminais da Secretaria da Segurança Pública de Sergipe (SSP/SE). As atividades teóricas e práticas fazem parte do 2º Curso de Análise Pericial em Material Explosivo, que ocorrem até essa sexta-feira, 23.

A finalidade do curso, que acontece na Academia de Polícia Civil (Acadepol) e nas instalações do antigo presídio do Bairro América, é preparar os profissionais da Coordenadoria Geral de Perícias da SSP/SE (Cogerp) para atuar em perícias de locais de crimes que envolvam artefatos explosivos.

De acordo com o capitão Weniston, subcomandante do COE, o principal objetivo das instruções é viabilizar a implementação de Procedimentos Operacionais Padrão (POP) nas perícias da Cogerp, em situações que envolvam detonação de explosivos, especificamente no pós-explosão. “Quando se trata de ocorrências com artefatos explosivos, em que o poder de destruição é enorme, nós policiais não temos a opção de errar. Dessa forma, quanto mais preparados e treinados para agirmos com base em POPs sugeridos pela doutrina internacional, com certeza, quem mais ganha é o cidadão sergipano”, pontuou o capitão que é técnico explosivista formado pelo Bope da PM do Distrito Federal.

Além do capitão Weniston, o COE também está ministrando aulas por meio do capitão Calaça, técnico explosivista pelo Bope da PMBA e o cabo Sales, formado em curso Antibombas da PMSE.

Segundo informações da SSP, a iniciativa ainda proporcionará o intercâmbio de conhecimentos científicos e de técnicas avançadas entre os peritos criminais da Coordenadoria Geral de Perícias da SSP/SE e da Polícia Federal, além de policiais militares do Comando de Operações Especiais, que estão atuando como instrutores do 2º Curso de Análise Pericial em Material Explosivo. O evento conta com o apoio da SSP, Cogerp, IAPF, Criminalística, Acadepol, Banese e Sinpose.

Recomendações da PM

Em ocorrências com bombas ou explosivos nunca se deve tocar, mexer ou remover os artefatos. A recomendação é isolar o local e chamar a unidade especializada em explosivos, por meio do 190. Esse procedimento é de extrema importância para a segurança de todos.

A ação do primeiro interventor (primeira pessoa que avista o cenário do ocorrido) é crucial para fazer valer a doutrina e, com isso, preservar vidas. Lembrando que, a unidade especial habilitada à proceder em situações de artefatos explosivos é o COE.

22 de novembro de 2018|COE, Especializadas, Notas Públicas, Notícias|