Pesquisa acadêmica comprova que fraturas expostas e amputações de pé em vítimas de acidentes motociclísticos estão relacionadas a não utilização de calçados fechados

Lesões traumáticas em pé e suas relações com o uso de calçados em acidentes motociclísticos foi o tema da pesquisa desenvolvida pelo acadêmico Gabriel Mattos da Universidade Federal de Sergipe. O trabalho foi fruto de uma monografia para conclusão do curso de medicina, sob orientação dos médicos Reuthemann Madruga, capitão médico da Polícia Militar, e Mario Costa, ambos professores da UFS e membros da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia.

O autor analisou vítimas de acidentes envolvendo motocicletas que passaram por procedimentos cirúrgicos no Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), e concluiu que 23% dos casos resultaram em lesões na região do pé. Durante o período analisado, 63 pessoas foram diagnosticadas com esse tipo de lesão, com as ocorrências de 42 fraturas expostas e seis amputações relativas ao membro. Nestes casos, as vítimas não utilizavam calçados fechados. Por outro lado, foi comprovado que 15 vítimas de fraturas fechadas estavam calçadas de forma adequada quando sofreram os acidentes.

Com base nos dados, a pesquisa visa conscientizar os motociclistas sobre os benefícios que o calçado pode trazer, principalmente no sentido de evitar consequências mais graves nesse tipo de fratura, reduzindo o risco de internamentos, infecções e mortalidades.

Segundo estimativa do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) a sociedade brasileira perde cerca de R$ 50 bilhões por ano com acidentes de trânsito, com destaque para o custo referente a atendimento médico-hospitalar. O mesmo estudo, realizado em 2013, observa que os usuários de motocicleta formaram o maior número de vítimas de acidentes de trânsito no Brasil.

Um dos orientadores da pesquisa, o professor Mario Costa, explicou que a legislação atual recomenda o uso do calçado pelos motociclistas, mas, a falta de obrigatoriedade dificulta o uso frequente deste item de segurança. Entretanto, de acordo com ele, a pesquisa concluiu que 69% das vítimas de acidentes inseridos nessa modalidade faziam uso do capacete, considerado item obrigatório.

“O objetivo da pesquisa é conscientizar os condutores de motocicleta sobre a importância do uso do calçado para possíveis reduções de lesões expostas na região do pé, caso sejam vítimas de acidentes de trânsito. Dessa maneira, estaremos contribuindo cientificamente com a melhoria da qualidade de vida da comunidade sergipana”, concluiu.

29 de outubro de 2018|Notícias|