PM apreende sons veiculares e pássaros silvestres por meio do Pelotão Ambiental

A Polícia Militar do Estado de Sergipe, por meio do Pelotão de Policiamento Ambiental (PPAmb), atendendo à requisição do Ministério Público Estadual, montou operação durante a Semana Santa para  combater a perturbação do sossego alheio oriunda da emissão de som em volume abusivo, principalmente a partir de equipamentos acoplados em malas de veículos e os conhecidos “paredões”.
No domingo, 1º, na Praia da Caueira, município de Itaporanga D’Ajuda, o PPAmb apreendeu três equipamentos de som que estavam acoplados em veículos e ligados em volume abusivo. À guarnição composta pelo sargento Daniel, cabo Cristiano e soldados Regina e Wanderley, os responsáveis pelos três veículos com som de malas informaram que, como o local é uma área de praia e tradicionalmente utilizado nos finais de semana como veraneio, achavam que não estavam cometendo nenhum ilícito ou  infringindo a legislação.
Diante dos fatos, a equipe policial lavrou o flagrante e os infratores tiveram os seus equipamentos de sons apreendidos e vão responder no Juizado Especial Criminal de Itaporanga D’Ajuda por contravenção penal de perturbação do sossego alheio.
Ainda no dia 1º, o Pelotão Ambiental aprendeu 20 pássaros em poder de um homem na Feira das Trocas, no Bairro Lamarão, em Aracaju. Às 5h30, a guarnição composta pelo sargento Paulo, cabos Vinícius e R.Oliveira fazia a fiscalização de rotina na feira, onde é recorrente a comercialização de animais silvestres, principalmente pássaros, quando flagrou um homem de 70 anos em posse de 20 pássaros silvestres em uma única gaiola, denotando claramente o intuito de comercializar.
Em conversa com a guarnição, o ancião informou que residia em Aquidabã e havia trazido os animais para Aracaju com o intuito de vendê-los. Diante do flagrante, foi explicado ao homem que a situação se configurava em crime ambiental e, para não ser conduzido à delegacia, o mesmo concordou em assinar um termo circunstanciado e irá responder no Juizado Especial Criminal, em Aracaju, pelo crime previsto no artigo 29 da Lei 9.605/98 (Lei de Crimes Ambientais). As aves foram soltas em habitat natural.