Proerd Sergipe promove novo modelo de formação para alunos em Aracaju

O Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd) estreou na última sexta-feira, 20, um novo modelo de formatura para as turmas do 7º ano do ensino fundamental de escolas assistidas pelo projeto social. A primeira escola a receber esse novo formato foi o Colégio Santanna, que fica localizado no Bairro Luzia, Zona Sul da capital. Esse novo método foi pensado e formulado pela equipe da Polícia Militar de Sergipe, exclusivamente para essa classe de série escolar. Os formandos celebraram o encerramento do curso com uma visita ao Esquadrão de Polícia Montada (EPMon), juntamente com o corpo docente da escola e seus instrutores Proerd, o sargento Prado, cabo T. Santos e soldado Filho. A ideia é tornar o momento do recebimento dos certificados algo inesquecível e significante para os assistidos, proporcionando um momento de lazer e aprendizado para comemorar o encerramento das lições.

Na ocasião, os discentes também fizeram uma trilha ecológica no parque, orientados pelo sargento Alex Farias e pelo cabo Barreto, e ainda desfrutaram de um piquenique oferecido pela direção da escola, momento em que foram agraciados com seus certificados de conclusão do curso. Essa nova versão de formatura vem sendo estudada desde o ano passado pela equipe do Proerd, a qual é coordenada pela capitã Adriana Littig. O modelo de formatura da 5º ano fundamental, muito bem formulado e de acordo com a proposta para essa faixa etária, não atendia mais a demanda do 7°ano, precisando ser atualizada.“Notamos que o modelo de formatura até então, utilizado para os 7° anos fundamentais, já não atendia mais a demanda dessa faixa etária, porque ela é pensada e muito bem aplicada para os 5° anos. Mas para os pré-adolescentes, ela não se encaixava mais. Por isso, sentamos, nós da equipe do Proerd, e formulamos essa nova versão, muito mais atualizada e que condiz com o público. Ficamos muito felizes com o resultado, principalmente quando vimos estampados no rosto das crianças a satisfação em participar desse momento”, relata a capitã Littig.

Os alunos foram recebidos pelo tenente Célio, chefe da sessão veterinária do Esquadrão, que ficou surpreso em como as crianças de 12 anos estavam entusiasmadas pela visita, e demonstrando o desejo de se tornarem policiais da Cavalaria no futuro. O oficial apresentou a estrutura do quartel, contou a história e a função da especializada na atividade de segurança pública, além de mostrar um pouco do manejo com os animais. Não foi a primeira vez que a Cavalaria recebeu os proerdianos em suas instalações, e para o major S. Junior, comandante do EPMon, são sempre ocasiões de muita alegria, porque estreita os laços entre a polícia e a comunidade: “é bastante salutar essa aproximação que o Proerd tem feito com a Cavalaria, trazendo os estudantes; mostrando nosso trabalho; como é desenvolvido no dia-a-dia, para que a comunidade nos conheça e possa ventilar as coisas boas que a gente pratica. O Proerd trabalha a prevenção ao uso indevido de drogas, ensinando e orientando as crianças, e a Cavalaria entra como um pilar de apoio. É uma forma de visibilidade para a Polícia Militar”, enfatiza o comandante.

A estudante Maria Clara é uma desses 84 formandos nessa ocasião. Aluna do 7º ano A, teve como instrutor Proerd, o sargento Prado. Ela conta como esse momento foi importante para sua vida, e diz que já está com saudades das aulas: “Foi a primeira vez que eu conheci uma unidade da polícia. Eu achei muito legal a visita ao quartel, porque os policiais nos receberam muito bem. O sargento Prado é muito alegre e gosta de conversar com a gente. Ele nos ensinou a dizer não às drogas, e com as aulas dele, eu me senti muito mais segura. O programa é muito bom e eu queria que tivesse em mais escolas também; que ele fosse conhecido por mais gente”, diz a estudante, muito agradecida.

A diretora pedagógica da escola, a senhora Vanderly Santanna, reforça as palavras de sua aluna: “O fato dos alunos terem essa experiência com a Polícia Militar, em um ambiente diferente, revela a importância de aproximar os jovens das pessoas que são responsáveis pela segurança pública no estado, e eles valorizarem o trabalho da Polícia Militar e ver que são profissionais que merecem o nosso respeito, a nossa confiança e a nossa motivação”. A educadora aprovou essa mudança na formatação da formatura Proerd do 7° ano. Para ela, como muitos alunos já passaram pela experiência da formatura do 5° ano, essa atividade diferenciada nessa nova fase, que os alunos estão vivendo, é muito mais estimulante. E ela finaliza agradecendo:“Foi a nossa primeira experiência da aplicação do Proerd nos 7° anos. Só temos de tecer comentários positivos”.

O Proerd

O Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência é oriundo de um programa norte-americano criado em 1983, após muitas pesquisas envolvendo educadores, psicólogos, psiquiatras e policiais. Tem como metodologia, a Teoria Socioemocional, que trabalha os sentimos e emoções dos alunos. Em 1992, foi implementado no Brasil, por meio da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, e atualmente é o programa de prevenção ao uso de drogas das polícias militares de todos os estados do Brasil. Em Sergipe, foi implantado no ano de 2001 e atualmente é coordenado pela capitã Adriana Littig, que já formou mais de 80 mil alunos ao longo desses 17 anos.

As escolas que desejarem receber o programa no próximo semestre, devem enviar um ofício direcionado ao Comando Geral da Polícia Militar de Sergipe (CPMC), endereçado ao coronel Marcony Cabral, solicitando o serviço. O ofício deve ser protocolado no Quartel do Comando Geral (QCG), localizado na Rua Itabaiana, 336, Centro, Aracaju. Para mais informações, entrar em contato com o Núcleo Proerd pelos números (79) 3226-7106 e 98867-6780.

24 de abril de 2018|Ações Sociais, Notícias, PROERD|