Levantamento feito pela Coordenadoria de Estatística e Análise Criminal (CEACrim) também demonstra que o 1º quadrimestre deste ano registrou a menor quantidade de casos em relação ao mesmo período de 2011

O Estado de Sergipe registrou o menor número de homicídios desde junho de 2011. É a menor quantidade de casos em 95 meses. Os dados fazem parte de levantamento feito pela Coordenadoria de Estatística e Análise Criminal (CEACrim), foram apresentados durante coletiva na manhã desta terça-feira (07), na Sala de Imprensa da Secretaria de Segurança Pública, e apontam também que o quadrimestre referente aos meses de janeiro e abril de 2019 apresentaram queda em relação ao mesmo período daquele ano.

De acordo com os dados da CEACrim, de janeiro a abril de 2019 foram contabilizados 250 casos. A menor quantidade de casos desde o mesmo período de 2011, quando a quantidade de ocorrências foi de 231, o que representa o quadrimestre com a menor incidência desse tipo de crime em oito anos. Além dessa redução, abril também contabilizou quedas em relação ao mesmo mês desde aquele ano.

“A respeito de todo comparativo, nós temos a plena convicção de que a metodologia utilizada no ano anterior é a mesma utilizada neste ano. O modo que nós coletamos e catalogamos informações é o mesmo de 2008 até aqui, não mudou nada”, afirmou Sidney Teles, diretor do CEACrim, sobre um único método de extração para maior fidelidade nos números.

Ainda segundo os índices, no mês de abril de 2019, houve o registro de 49 homicídios, sendo 31 no interior do estado, dez na capital e oito em duas cidades que formam a Região Metropolitana de Aracaju (Nossa Senhora do Socorro e São Cristóvão contabilizaram quatro investidas criminosas cada, enquanto que não houve ocorrência na Barra dos Coqueiros).

O secretário da Segurança Pública, João Eloy, destacou como positiva a baixa nos números e ressaltou que a constante redução na incidência de homicídios e demais ações criminosas, tanto na capital, quanto no interior do estado, é fruto de planejamento, análise das áreas de maior incidência e do trabalho integrado entre as polícias e demais instituições que compõem a segurança pública.

“Nós estamos constantemente nos reunindo e debatendo os números obtidos, assim como analisando as áreas que precisam de melhorias na segurança pública. O trabalho integrado entre as polícias Civil e Militar é um dos principais pontos que precisamos frisar quando falamos sobre a redução no número de homicídios no estado. Estamos atentos às demandas da sociedade na garantia da segurança pública da população”, enfatizou.

O governador Belivaldo Chagas enalteceu o trabalho e os resultados conquistados. “Na área da segurança pública nosso governo vem trabalhando muito e os resultados estão aparecendo. No início da semana, o Ministério da Justiça nos premiou por ter um dos melhores Sistema Prisionais do país, e agora, recebemos a avaliação da Segurança Pública dos primeiros quatro meses do ano e tivemos o melhor quadrimestre dos últimos oito anos. São vidas sendo poupadas”, afirmou.

Já quando os dados referentes aos casos contabilizados neste ano são comparados com os registrados em 2016, a redução no número de homicídios é ainda maior. Enquanto em 2019 foram 250 casos, nos quatro primeiros meses de 2016 foram 440 registros, representando uma queda de 43,2% na incidência desse crime no estado ou 190 vidas preservadas no quadrimestre em Sergipe.

“São várias ferramentas envolvidas, mas é um trabalho contínuo o próprio acompanhamento da mancha criminal, bem como colocar o policiamento de forma inteligente e eficiente. Nós tivemos investimento no nosso material humano e esse material nas ruas tem dado uma resposta. A equipe gestora é uma peça na engrenagem, mas todos os setores envolvidos são importantes para que os números estejam cada vez melhores, frisou o comandante-geral da Polícia Militar de Sergipe, coronel Marcony Cabral”.

Ainda durante a coletiva, a delegada Viviane Pessoa, coordenadora das delegacias da capital, afirmou: “a gente tem feito um trabalho integrado entre as forças de segurança e isso, com estudo semanal e o suporte da estatística, é que tem feito a gente alcançar esse resultado. Hoje a gente conta com uma redução que se traduz em vidas salvas”.

Os gestores também apontaram a atuação do sistema prisional como importante para a redução dos crimes violentos nos últimos anos. Há dois anos e três meses não há fugas das unidades da administração penitenciária em Sergipe. “A nossa primeira meta foi a de estancar uma sangria de fugas de presos do sistema prisional e estamos há dois anos e três meses sem qualquer ocorrência de fuga nas unidades prisionais de Sergipe. Isso, sem dúvida, tem um impacto nos casos de homicídios e outros crimes violentos praticados no estado”, avaliou o secretário da Justiça, Cristiano Barreto.

 

Fonte: Ascom/SSP