A Polícia Militar do Estado de Sergipe, através do Comando do Policiamento Militar da Capital (CPMC), deu sequência ao emprego da tropa na segurança das Eleições 2014 na madrugada deste domingo, 5. Com a conclusão de mais uma fase do plano de operações estabelecido para este evento, mais de três mil homens e mulheres estão no policiamento ostensivo de 33 das 36 Zonas Eleitorais do Estado, frisando que 11 destas estão situadas na Grande Aracaju e 22 no interior sergipano. Já as outras três Zonas, estão sob responsabilidade do Corpo de Bombeiros.

Para garantir a tranquilidade dos eleitores e candidatos, bem como a inviolabilidade das urnas neste domingo, 5, o Comando do Policiamento Militar da Capital (CPMC) montou um grande esquema de segurança, tudo comandado pelo coronel Jackson Nascimento, comandante CPMC. Assim, os militares da PMSE fiscalizarão os locais de votação em 33 zonas – 11 sob responsabilidade do Comando do Policiamento Militar da Capital (CPMC) e 22 sob as diretrizes do Comando do Policiamento Militar do Interior (CPMI). O Corpo de Bombeiros atuará na 3ª Zona, em Aquidabã; 8ª Zona, em Gararu, e 17ª Zona, em Nossa Senhora da Glória, garantindo a ordem pública nessas localidades.

Além de preservar a ordem pública em todo o território do Estado durante o pleito, o plano de operações da PM visa a garantir o poder de polícia da Justiça Eleitoral, em suplementação à Polícia Federal, durante o pleito e no período que antecede as eleições, especialmente na fiscalização da propaganda eleitoral.
As ações de policiamento foram divididas, a princípio, em cinco fases, com a execução de uma sexta no caso de haver o segundo turno. As atividades tiveram início na quinta-feira, 2, e se estendem até depois da apuração dos votos, no final da noite do domingo, 5.

O major Melo, comandante de operações do CPMC, salienta que o efetivo está reforçado para prevenir e, se preciso, reprimir quaisquer atos que impliquem na lisura do pleito. “Nosso efetivo está preparado para prevenir ou reprimir tumultos e impedir todo e qualquer tipo de confrontação entre componentes de facções políticas contrárias, seja antes, durante o pleito, ou mesmo nas comemorações dos resultados das eleições, para coibir os excessos que possam perturbar a ordem”, declarou o oficial.

Para coordenar as ações de policiamento, distribuir melhor o efetivo e atender possíveis ocorrências, a PM instalou um Call Center (8867-8867), que já está funcionando nas dependências do Quartel do Comando Geral, integrando os Comandos do Policiamento Militar da Capital e do Interior. “Esse trabalho conjunto certamente permitirá uma ação mais eficiente e eficaz por parte da Polícia Militar durante toda a eleição, uma vez que eventuais problemas poderão ser identificados e solucionados com maior brevidade”, também destacou o comandante de operações do CPMC.

Apuração

O major destaca ainda o emprego das Unidades especializadas nos Fóruns onde ocorrerão as apurações, com apoio do policiamento ostensivo ordinário, se necessário. “Nesses locais, os comandantes de áreas poderão utilizar a tropa do Batalhão de Choque (BPChq), Comando de Operações Especiais (COE), Batalhão de Polícia de Radiopatrulha (BPRp), Grupamento Especial Tático de Motos (GETAM), Grupo de Ações Táticas do Interior (GATI) e Pelotão Especial em Área de Caatinga (PEPAC). Já na sede do Tribunal Regional Eleitoral, o policiamento ostensivo ficará por conta da Companhia de Policiamento de Trânsito (CPTran)”, acrescentou.

Crimes eleitorais

Para garantir a lisura durante as eleições, o gabinete do comandante geral divulgou no Boletim Geral Ostensivo (BGO) número 178, de 2 de outubro de 2014, normas gerais atinentes às garantias eleitorais e a prisão de civis e militares durante o período eleitoral. A publicação trouxe trechos do Código Eleitoral, Código de Processo Penal Militar e Código de Processo penal e visou subsidiar a tropa com informações que poderão ser úteis neste domingo.

Estágio supervisionado

Este ano, a segurança do pleito terá ainda a participação de 670 alunos do Curso de Formação de Soldado (CFSd), que atuarão conjuntamente com os policiais militares durante as Eleições 2014. “Eles vão trabalhar da mesma maneira que os demais policiais militares, porém sempre supervisionados, e serão empregados nas proximidades dos locais de votação, realizando o policiamento específico de prevenção, que é peculiar da Polícia Militar”, explicou o subcomandante do Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (CFAP), major Sidney Barbosa dos Anjos Correia.

Matéria alterada às 3h30 deste domingo, 5, para acréscimo de informações.

Última atualização em 5 de outubro de 2014 às 03:59:07.