Nessa terça-feira, 16, um cidadão procurou o Comandante da Polícia Militar de Sergipe para fazer um desabafo. Por meio de uma carta, ele solicita que as autoridades possam intensificar as medidas de proteção e combate ao coronavírus com o objetivo de diminuir a disseminação da pandemia. Ele está com a filha internada em um dos hospitais da capital, relata que está vivendo uma situação desesperadora e apela para que que outras pessoas não precisem passar por essa mesma condição.

“Boa noite, Sr Cmt

Minha filha tá evoluindo. Hoje o RX indicou que o pulmão tá bem. Já não tem mais pneumonia. Os exames de sangue também estão bem. Mas precisa terminar o antibiótico venoso e ficar aqui em observação. Soube que o tempo mínimo era 14 dias. Mas o hospital está cheio. Aqui dentro tá misturado pessoas com COVID e pessoas sem COVID, como por exemplo o Salão da UTI pediátrica.

Pelo que tenho entendido aqui, estão cogitando mandar minha filha pra casa após o décimo dia e ela terá que terminar o tratamento em casa. Se piorar, deve voltar. Porém não sei se, saindo daqui, terá a vaga se precisar retornar. Uma das recomendações que a pediatra tem conversado é que minha filha faça os exames nos laboratórios particulares (fora do hospital) pra acompanhar se ela realmente estará evoluindo, caso venha sair do hospital após o décimo dia. Em alguns casos, o paciente precisa de 21 dias pra se recuperar.

A situação é complicadíssima!! Tanto pra mim que não quero sair sem ter a certeza de que minha filha está bem, como para quem está aguardando vaga pra ser atendido. O conflito ético é gigantesco. É preciso fazer alguma coisa aí fora pra evitar que as pessoas precisem de atendimento hospitalar. 

Segundo os jornais, A Unimed está fechada. O Primavera também. O São Lucas também está lotado. O SUS está operando além da capacidade. As pessoas estão brigando por leito e não tem vaga pra atende-las. Se o isolamento realmente diminuir a propagação do vírus, as autoridades devem fazer algo imediatamente.

Obs: na Ala que estou somente minha filha que não está contaminada com coronavírus. Estamos enclausurado aqui no quarto e temos medo até de ser atendido pelos profissionais do próprio hospital, pois eles atendem o quarto de minha filha e os demais quartos. Aqui dentro eu e minha esposa fazemos tudo em relação ao tratamento de minha filha (ministrar remédios, conferir sinais vitais, limpeza do quarto, etc) para que nenhum funcionário necessite entrar. Ficar aqui no meio da COVID também não é boa opção, já que estamos misturados.

O nosso sistema de saúde, seja ele público ou privado, não foi construído pra operar com essa demanda atual, até porque essa situação é excepcional. Então realmente teremos problemas estruturais. Não vai dar pra atender todo mundo. Independente da ideologia adotada ou de quem seja a culpa (se é que tem), o sistema de saúde não tem capacidade de atender toda essa demanda, pois não foi feito para isso. Não só aqui no Brasil, mas em qualquer outro lugar do mundo.

Se o isolamento realmente for eficiente pra diminuir a transmissão do vírus e, dessa forma, diminuir a necessidade de várias pessoas precisarem de atendimento hospitalar, as autoridades devem adotar ou buscar outro meio de conter essa situação, pois está um caos.

Os governantes precisam estar juntos pra salvar as vidas dos brasileiros. Essas mortes podem ser evitadas/diminuídas.

Desculpe o desabafo. É preciso fazer algo pra diminuir a propagação do vírus e diminuir a superlotação dos hospitais. Está um colapso.”

A Polícia Militar reforça que não é hora de relaxar e conclama a sociedade sergipana que faça a sua parte, entenda e apoie as ações da Polícia Militar. Estamos nas ruas  para garantir o cumprimento do Decreto Governamental visando garantir a segurança e saúde de todos.

Última atualização em 17 de março de 2021 às 11:43:19.