Na manhã desta quarta-feira, 25, o Comitê de Saúde da Polícia Militar do Estado de Sergipe apresentou os dados relacionados ao acompanhamento dos militares acometidos pela doença, desde sua criação, em março de 2020, até os dias atuais. A explanação aconteceu no Hospital da Polícia Militar de Sergipe e demonstrou também os próximos passos do comitê, uma vez que a pandemia ainda não acabou e o trabalho da Polícia Militar continua.

Desde o início do surto, em março de 2020, a Corporação se preocupou em garantir os Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s) necessários aos cuidados dos policiais, bem como em manter todos esclarecidos acerca de orientações importantes para que o contágio fosse evitado, até que chegasse a vacinação.

O tenente-coronel Eudo Barroso, presidente do Comitê de Saúde, ressaltou a importância da vacinação como ponto fundamental na redução dos números de militares diagnosticados, além da redução dos casos graves. “ Hoje temos mais de 95% dos militares da ativa vacinados com a primeira dose e mais de 60% com a imunização completa, o que reflete diretamente na queda do número de infectados”, destacou.

Apesar de a vacinação estar bem acelerada, os trabalhos do comitê continuam e as recomendações sanitárias não podem ser esquecidas. Há ainda uma necessidade em monitorar os militares que apresentam sintomas para que o quadro não evolua e seja analisada a importância de um afastamento para evitar contaminação da tropa de linha de frente, que está mais suscetível à doença.

O médico infectologista e membro do comitê, capitão Agnaldo, destaca que além da vacinação, o trabalho em equipe foi primordial para garantir o controle da situação. “A importância dada à situação pelo comandante-geral, coronel Marcony, aliada ao trabalho de cada membro do corpo de saúde, é o fator responsável por hoje, 25 de agosto, estarmos completando 70 dias sem nenhum caso de militar da ativa internado”, frisou o médico.

Por fim, a Corporação agradece ainda o empenho das Secretarias de Saúde de todos os municípios sergipanos que contribuíram diretamente para o avanço da imunização da tropa.

O coronel Marcony Cabral aproveitou para enfatizar que não podemos descuidar e que a Polícia Militar continua atenta para garantir, da melhor forma possível, a saúde da tropa. “A doença ainda não foi vencida e não podemos descuidar do uso da máscara, higienização das mãos e distanciamento social como forma de preservar a nossa saúde e da nossa família”, finalizou o comandante.

Última atualização em 25 de agosto de 2021 às 10:54:57.