Na manhã desta quinta-feira, 19, o Grupamento de Ações Táticas do Interior (Gati) comemorou 12 anos de fundação com a entrega de Medalhas de Tempo de Serviço Policial Militar. A solenidade ocorreu no Auditório do Centro de Criatividade e homenageou oficias e praças com 10, 20 e 30 anos de bons serviços prestados à Corporação. 

O comandante-geral da Polícia Militar, coronel Marcony Cabral, esteve presente no evento e aproveitou para destacar o trabalho e a dedicação dos policiais militares que integram o Grupamento Tático. “Quando em 2009, o secretário de Segurança Pública João Elói criou o Gati, ele acreditava que essa unidade especializada teria uma história de sucesso, o que vem se confirmando durante esse período. Talvez, os recursos nem sempre sejam os ideais, mas tenho a certeza de que houve uma grande evolução, principalmente no que se refere ao material humano. Eu acredito bastante nesse trabalho e afirmo que o Estado de Sergipe precisa de todos vocês. Por isso, continuem firmes com essa brilhante missão”, exclamou. 

Desde que foi fundado, o Grupamento de Ações Táticas do Interior já desenvolveu inúmeras ações em prol da sociedade sergipana, sempre com capacidade técnica, retidão de conduta e muita superação. O Gati é uma tropa com treinamento intensivo e emprego em situações mais enérgicas, dentro dos princípios da legalidade.  

“Nossa tarefa não é fácil, é árdua, e muitas vezes sacrificamos o convívio familiar para que as pessoas possam ter paz e tranquilidade. Dessa forma, não abrimos mão da nossa missão de servir e proteger o cidadão sergipano. Somos gateanos, policiais militares prontos para qualquer missão”, comentou com entusiasmo o atual comandante do Gati, capitão Fernando Costa. 

O Grupo, com autonomia própria, é responsável pelo planejamento, comando, coordenação, fiscalização, manutenção, controle e execução das operações e missões a serem desenvolvidas pela Policia Militar de Sergipe, em todo o interior do estado, onde seja necessário o emprego de tropa especializada, preparada para o pronto atendimento a ocorrências de alto risco (crimes violentos, roubos a bancos, busca de armas e drogas, prisão de indivíduos procurados pela justiça e apreensão de veículos roubados).  

“É com indisfarçável orgulho de estar comandante do Gati, que parabenizo todos os integrantes desse grupamento, pois não tenho dúvidas que, se não fosse o esforço e a dedicação dos seus integrantes, o Gati não teria alcançado o reconhecimento da sociedade sergipana e dos poderes constituídos. Nossas ações contribuem para a tranquilidade, dignidade e cidadania dos sergipanos”, conclui o capitão Fernando. 

Em reconhecimento aos bons serviços prestados à Corporação, o comando da Polícia Militar homenageou oficias e praças com a Medalha de Tempo de Serviço. Entre os agraciados estava a soldado Marília Graziela, integrante do Gati há quase três anos. “É com muita honra que eu recebo a homenagem de uma unidade onde eu fiz grandes amigos e que aprendi a ter um grande apreço. Acho importante haver um reconhecimento pelo trabalho que desempenhamos na Polícia Militar, seja nas unidades especializadas como o Gati, seja por meio dos batalhões de área”, comemorou a policial militar feminina. 

Além do comandante-geral da Corporação, prestigiaram a solenidade o chefe da 2ª Seção do Estado Maior, coronel Edenisson da Paixão; o comandante do Policiamento Militar da Capital, coronel José Moura Neto; o comandante do Policiamento Militar do Interior, coronel Fábio Rolemberg; o chefe da 6ª Seção do Estado Maior, coronel Reinaldo Correia de Moura; além do prefeito do município da Barra dos Coqueiros, Alberto Jorge Santos Macedo.

Última atualização em 19 de agosto de 2021 às 09:58:53.