No último domingo, 14, o Museu da Polícia Militar de Sergipe completou 52 anos como mais uma opção de lazer, que agrega cultura e conhecimento para sergipanos e turistas que visitam a cidade histórica de São Cristóvão.

A instituição contempla mais de mil peças entre armamentos, fardamentos, equipamentos e documentos, permanentemente à disposição de todos que visitam as instalações do Museu. O espaço também valoriza os artistas locais que, desde 2014, podem expor suas artes.

O diretor executivo das atividades no Museu, coronel Dilson Ferraz, explica que a primeira exposição de artistas sergipanos ocorreu após dois anos de funcionamento do acervo. “Houve uma grande necessidade de unir a importância do Museu com a importância da inserção da cultura artística local para, acima de tudo, dinamizar a funcionalidade do órgão”.

Assim, diversos artistas já expuseram seus trabalhos, agregando valor cultural e atraindo mais visitantes ao estabelecimento. A abertura para a exposição dos trabalhos produzidos pelos nossos artistas trouxe visibilidade, por meio de uma associação em que a arte é o principal elo com a comunidade.

Desde a sua idealização na década de 1969, o Museu coleta materiais antigos que remetem à história da PM. Recentemente o local recebeu uma túnica pertencente a um capitão datada do século XX e um bacamarte, também do mesmo período. Para cooperar com o acervo, basta apresentar o material na sede do próprio Museu ou no Quartel do Comando Geral, na capital.

O acervo do Museu é formado por meio de doações da sociedade sergipana, de forma a manter viva as memórias.  A Secretaria de Estado da Cultura também é uma parceira fundamental no projeto.

Funcionamento

Aberto a visitas diariamente das 9h às 17h, inclusive aos fins de semana e feriados, o Museu disponibiliza um guia que relata fatos históricos relacionados às peças, revelando curiosidades sobre a história da própria Polícia Militar.

Última atualização em 17 de novembro de 2021 às 11:44:50.