nota-de-essclarescimentoA Polícia Militar de Sergipe, por meio da 5ª Seção do Estado Maior Geral (PM-5), vem a público esclarecer os fatos ocorridos na manhã desta segunda-feira, 12, no Quartel do Comando Geral (QCG) da PM, em virtude de informações equivocadas circulando nas redes sociais.

O setor de comunicação social da PMSE, explica que houve a apreensão administrativa do aparelho de telefonia celular de um soldado lotado no Batalhão de Polícia de Radiopatrulha (BPRp), quando este gravava, sem permissão de um oficial superior, uma reunião com 13 policiais militares da referida unidade especializada, na sala da 4ª Seção do Estado Maior Geral (PM-4), setor responsável pela logística da Corporação.

No ato, os policiais, que alegavam não possuir uniformes para realizar o serviço ostensivo, apresentavam requerimento solicitando novas mudas de farda, quando um oficial da 4ª Seção suspeitou que a conversa estava sendo gravada, fato que causou estranheza àquele militar. Ao interpelar o praça sobre tal atitude, este negou a gravação, restando constatado que a conversa realmente estava sendo clandestinamente captada pelo celular. Diante da conduta reprovável, o oficial superior recolheu o aparelho, que foi administrativamente apreendido para a necessária apuração dos fatos.

A PM-5 esclarece que nenhum policial militar foi preso, pois não havia motivo para tanto. Apenas foi instaurado o devido processo administrativo junto à Corregedoria Geral da Polícia Militar, com a observação das garantias constitucionais de ampla defesa e contraditório, a fim de apurar eventuais responsabilidades disciplinares ou criminais.

Esclarece ainda que todas as providências foram adotadas na presença do advogado do militar interessado e de representantes da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), que compareceram ao QCG ante aos infundados boatos que foram veiculados nos grupos de WhatsApp.

Última atualização em 12 de setembro de 2016 às 04:09:29.