A Polícia Militar do Estado de Sergipe, por meio do Pelotão de Polícia Ambiental (PPAmb), flagrou na sexta-feira, 9, no Povoado Lagoa do Boi, município de Gararu, no Alto Sertão Sergipano, um fazendeiro cometendo crime ambiental referente a maus tratos de animais domésticos.

Por volta das 11h, a guarnição Arara 01, composta pelo sargento Paulo, cabo M. Silva e soldado Ismerim, em cumprimento a ordem de serviço expedida pelo Comando do Policiamento Militar da Capital (CPMC) e em apoio à Promotoria de Gararu, flagrou 16 bois confinados numa fazenda, com parte da cauda amputada.

No local, o proprietário da fazenda confirmou ser o dono dos animais, mas negou ter mutilado os bovinos. Diante do flagrante de crime ambiental, os animais foram apreendidos, lavrado um termo circunstanciado, com base no artigo 32 da Lei 9.605/98 (Lei de Crimes Ambientais), e o infrator responderá na Comarca de Gararu.

Cauda ou rabo

Grande parte dos animais tem rabo porque necessita dele para desempenhar algum tipo de atividade. Na verdade, é a continuação da sua coluna vertebral e, por isso, é tão sensível quanto outras partes do corpo. O rabo de bois, cavalos e camelos têm a finalidade de espantar insetos, que podem transmitir doenças.

Com informações do Diário do Grande ABC

Última atualização em 26 de junho de 2017 às 10:05:40.