Uma ação realizada por policiais civis da Delegacia de Simão Dias e militares do Comando de Operações Especiais (COE) e da 2ª Companhia do 7º Batalhão de Polícia Militar impediu que Gilvando Santos, 37 anos, armado, ferisse uma vítima tomada de refém nas dependências da Secretaria de Ação Social da Prefeitura de Simão Dias.

A ocorrência começou com a negociação feita pelo escrivão Half Ponzes, até o momento em que o COE, unidade especializada para gerenciamento de crises e tomada de refém, foi acionado para atuação. Os militares da 2ªCia/7ºBPM auxiliaram no isolamento da área. De acordo com o delegado Clever Farias, o ato do homem foi motivado por uma denúncia de estupro feita contra o acusado por algumas jovens no passado, quando no prédio funcionava um abrigo e não uma secretaria do município; e a condição para libertação do refém seria a presença dessas jovens para desfazer as acusações. “Ele tem passagem pelo sistema criminal sergipano, um indivíduo de alta periculosidade processado, inclusive, por um homicídio ocorrido em 2014”, relata o delegado.

O Complexo de Operações Especiais (Cope) instaurou inquérito policial para investigar o caso, junto com a Delegacia de Simão Dias. Mesmo após horas de negociação não foi possível a libertação do refém, o que resultou nos dois disparos efetuados pelo sniper (atirador de elite) da unidade especializada que vitimou o sequestrador e possibilitou o resgate do refém sem qualquer dano físico.

Ascom SSP

Última atualização em 13 de julho de 2017 às 09:36:57.