O primeiro foi na última sexta-feira, 30, quando policiais militares da cidade de Cedro de São João, 2º BPM, receberam denúncia de perturbação do sossego em residência. Chegando ao local foi constatado o volume exacerbado e o proprietário teve sua aparelhagem apreendida.

O segundo caso foi na manhã desse último sábado, 01, quando policias militares do município de Umbauba foram acionados por populares, por volta das 6h30, que afirmavam haver uma festa no Povoado Imbé, naquele município, e que havia aglomeração de pessoas e perturbação do sossego.

A guarnição se deslocou ao local e foi constatada a veracidade da denúncia. Dando cumprimento ao Decreto Governamental, referente ao combate da propagação do Covid 19, a aglomeração foi desfeita, e o som apreendido. O proprietário do aparelho sonoro foi conduzido até a sede da 3ª Companhia do 6°BPM, onde foi feita a lavratura do Termo Circunstanciado de Ocorrência.

A terceira ocorrência aconteceu ainda no sábado, 01. Agora na cidade de Propriá. Os  militares do 2° Batalhão apreenderam aparelhagem sonora na localidade conhecida como Gogó da Ema após denúncias de populares.

Foram feitas as diligencias e constataram o uso irregular de aparelhagem sonora residencial. O aparelho foi apreendido e o proprietário responderá em juízo pela perturbação do sossego alheio.

 O quarto caso foi na tarde desse domingo, 2, quando policiais militares da cidade de Laranjeiras, 3ª CIPM, atenderam ocorrência de perturbação de sossego no Povoado Pastora, naquele município. Os militares constaram o som abusivo em um veículo e o proprietário foi levado até a sede do CISP onde feito o procedimento de apreensão do som.

O quinto fato foi mais gravoso e aconteceu novamente na cidade de Propriá. Só que no domingo, 2. Os militares do 2° Batalhão interromperam uma festa que acontecia em desacordo com o decreto estadual. Três pessoas foram presas após desacato e resistência.

Os militares pediram à proprietária que desligasse a aparelhagem sonora e acabasse com a festa. No primeiro momento a responsável pela confraternização acatou a ordem legal, todavia, após a saída da guarnição os participantes ligaram novamente o som e continuaram com a festa.

Os participantes se recusaram a acabar com a festa, alegando que não eram obrigados a cumprirem o decreto e que a polícia deveria se retirar da rua. Diante dos vários delitos, a moradora recebeu voz de prisão, momento em que ela e mais dois participantes da festa investiram contra as guarnições, resistindo e agredindo os militares. As três pessoas foram presas e encaminhadas à delegacia de Propriá para as providências legais.

A sexta apreensão de som aconteceu novamente na cidade de Cedro de São João, 2º BPM. Só que dessa vez foi na noite de domingo, 2, quando os policiais militares receberam denúncia de perturbação do sossego em residência. Chegando ao local foi constatado o som abusivo e o proprietário teve sua aparelhagem apreendida; além de infringir o decreto estadual. Foi lavrado procedimento criminal em seu desfavor e agora irá responder em juízo.

 

O último registro, também na noite desse domingo, 2,  foi na cidade de Canhoba. Policiais militares do 2° BPM, após recebimento de denúncias, constataram que estava havendo uma comemoração com uso de bebidas alcoólicas, em uma praça da cidade. Os participantes foram dispersados e dois cidadãos responderão criminalmente pelo descumprimento do Decreto Estadual.

Última atualização em 3 de maio de 2021 às 12:30:01.