O curso qualifica policiais militares para atuarem em ocorrências de alta complexidade

Na manhã desta sexta-feira, 20, a Polícia Militar do Estado de Sergipe iniciou o II Curso de Operações de Choque (II COC). A aula inaugural ocorreu no Auditório do Corpo de Bombeiros de Sergipe, com a participação de autoridades civis e militares.

O curso, objetiva difundir conhecimentos na área de Controle de Distúrbios Civis, policiamento em eventos e nas mais variadas situações que o emprego da tropa for exigido. A capacitação destinada a policiais militares sergipanos é a segunda realizada na história do Batalhão de Choque da PMSE e conta com a supervisão da 3ª Seção do Estado Maior Geral, chefiada pelo coronel Vivaldy Cabral.

Durante a abertura da solenidade, o comandante-geral da Polícia Militar foi representado pelo chefe da 4ª Seção, coronel Carlos Rollemberg. Na oportunidade, o coronel explicou que a tropa de Choque é uma Unidade de importância fundamental no processo de pacificação social, atuando em ocorrências complexas que normalmente exigem respostas especiais. “Essas respostas serão mais eficazes se tivermos uma tropa constantemente preparada e condicionada para os desafios. Nesse sentido, o Curso de Operações de Choque é um investimento que retornará positivamente para toda a sociedade, que contará com policiais ainda mais qualificados,” destacou.

A aula inaugural foi ministrada pelo coronel Vivaldy, que ressaltou a necessidade de qualificar os policiais no sentido de atuarem no restabelecimento da ordem pública nos casos de grave perturbação. “É uma grande honra, enquanto chefe da divisão de ensino da PMSE, viabilizar uma capacitação desse nível para os nossos policias militares. Quando demandada, a tropa dará a pronta resposta qualificada.”

De acordo com a coordenadora do curso e subcomandante do Batalhão de Choque, capitã Manuela Gomes, o curso tem uma importância vital para a unidade especializada. “Após 14 anos sem a realização de um curso completo de Operações de Choque, elaboramos uma proposta de capacitação para a qualificação dos nossos profissionais, a fim de que disponha de conhecimento necessário para atuar em ocorrências de grande vulto. A nossa expectativa é que todos se formem e apreendam os conteúdos apresentados, visto que os instrutores são capacitados, inclusive, com especialização na área.”

Dos 45 militares que foram selecionados em provas de aptidão física, dois já desistiram nas primeiras horas de instrução nas dependências do BPChoque. O curso terá a duração de 25 dias, com carga horária prevista de 249 horas/aula, divididas entre teoria e prática.

 

Última atualização em 20 de setembro de 2019 às 12:57:58.