“Tua nobre presença à lembrança, a grandeza da Pátria nos traz” 

Com o objetivo de fortalecer ainda mais a perspectiva histórica expressa nas estrofes do Hino à nossa Bandeira, a Polícia Militar de Sergipe celebrou o maior símbolo da nossa nação durante cerimônia realizada no Centro de Ensino e Instrução (Cei), nesta sexta-feira, 19. A comemoração reuniu centenas de oficiais e praças que, em meio à emoção, demonstraram a importância do sentimento voluntário de pertencimento e amor à pátria e aos símbolos nacionais. 

A solenidade teve início com o hasteamento do Pavilhão Nacional pelo subcomandante da Polícia Militar, coronel Paulo Paiva, em companhia do chefe da 3ª Seção do Estado Maior, coronel Gledson Lima Alves, e do chefe do Centro de Ensino e Instrução, tenente-coronel Edvaldo Barbosa.  

Na sequência, o subcomandante da PMSE fez uma breve saudação aos oficiais e praças presentes, para, em seguida, comentar sobre a alegria de presidir a solenidade alusiva ao Dia da Bandeira. 

“É o nosso maior símbolo nacional, aquele que melhor nos representa. Como diz o Hino à Bandeira, ‘nos momentos de festa ou de dor, paira sempre a sagrada bandeira’. Por este motivo, ela representa aquilo que temos de mais sagrado e mais sentimental para com a nossa nação”. 

Após enaltecer o significado da Bandeira brasileira, o oficial lembrou que além da nobre missão de servir e proteger a sociedade sergipana, o reconhecimento e a manutenção da cultura e dos símbolos que representam a nossa história como nação, também são essenciais para manter a boa imagem da Corporação junto à sociedade. 

“Como policiais militares devemos sempre nos orgulhar e honrar as nossas tradições. Não podemos hesitar em admirar as nossas tradições; ao contrário disso, cultuemos os símbolos, a cultura e os valores que nos engrandecem e nos identificam como uma grande nação, pois, certamente, aqueles que acompanham a Polícia Militar observam isso com admiração”. 

O coronel Paulo Paiva concluiu seu discurso afirmando que, às vésperas de completar o bicentenário, a Instituição vem fortalecendo a sua credibilidade perante a sociedade sergipana , o que reflete o trabalho, a dedicação e o compromisso de cada homem e mulher que compõe a Polícia Militar. 

Ao meio-dia, as bandeiras consideradas inservíveis foram incineradas, pois como prevê a Lei Federal, é considerada “manifestação de desrespeito à Bandeira Nacional”, e, portanto, proibida, apresentá-la em mau estado de conservação. 

Histórico 

O Dia da Bandeira foi criado logo após a Proclamação da República, em 15 de novembro de 1889. Naquela ocasião, era necessária a substituição de símbolos nacionais que remetessem à monarquia e, por isso, a nova bandeira foi apresentada e instituída oficialmente pelo presidente provisório Deodoro da Fonseca.  

Como podemos observar na atualidade, algumas substituições pontuais foram realizadas na Bandeira. Dessa forma, o símbolo das armas do antigo império foi substituído por uma esfera republicana da cor azul, com o lema Ordem e Progresso e as estrelas que representam os estados brasileiros. 

Última atualização em 19 de novembro de 2021 às 04:41:28.