As Polícias Civil e Militar de Sergipe apresentaram na tarde desta terça-feira, 2, no auditório do Quartel do Comando Geral da PM, detalhes da operação realizada na madrugada, que resultou na prisão de Yuri Thierry Santos do Bomfim, 18, André Sérgio de Almeida Silva, 21, José Renivan Nascimento Santos, 35, e o líder do grupo, Jadson Barbosa da Silva, 22 anos, conhecido com “Jau”. Todos suspeitos de envolvimento com o tráfico de drogas, no bairro Coqueiral, Zona Norte de Aracaju. Na oportunidade, um adolescente foi apreendido.

O diretor do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa, delegado Alessandro Vieira, explica os detalhes da operação e ressalta a importância da ação conjunta entre as polícias civil e militar. “Em parceria com o Denarc e com o Grupamento de inteligência do COE foram feitos os levantamentos na área e após a concretização desses dados foi programada e executada a operação. Operações desse tipo só podem acontecer mediante a atuação integrada das polícias, porque é preciso cobrir uma área muito grande , além de manter a segurança da comunidade. Foi uma operação bem sucedida, os alvos foram localizados, identificados e presos . Inclusive, José Renivan já possuía dois mandados de prisão em aberto, sendo um deles definitivo por tráfico de entorpecentes”, relata.

Essa importante atuação em conjunto também é ressaltada pelo comandante do Comando do Policiamento Militar da Capital, coronel Luiz Azevedo. “”O trabalho em parceria das polícias Civil e Militar está surtindo bons efeitos. Nosso objetivo não é somente combater o tráfico nas ruas, mas acabar com a estrutura de poder do traficante. Qualquer criminoso que achar que vai dominar alguma região de Sergipe, as forças de segurança vão atuar de forma repressiva, inteligente e planejada como foi feito na operação de hoje”, destaca.

De acordo com o delegado do Departamento de Narcóticos (Denarc), André Baronto, os objetivos da operação vão além do combate ao tráfico de drogas. “Nossos objetivos foram vários. Desde a prisão de Jau, que seria o líder da quadrilha; até mostrar presença da polícia naquele local. Conseguimos sucesso na operação e mostramos à população que nós estamos aqui. Outro objetivo também foi de colher informações acerca de crimes e dos envolvidos. As investigações estão em andamento e outras operações vão ocorrer naquele local, essa foi apenas a primeira para termos uma visualização melhor do que ocorre na região e colher provas para futuras operações” explica.

Crimes e apreensões

Os crimes imputados ao grupo são: homicídio, tráfico de drogas, associação para o tráfico, receptação, posse ilegal de arma de fogo, organização criminosa e corrupção de menor.

Durante a operação, foram apreendidas uma arma de fogo, drogas, aparelhos eletroeletrônicos provenientes de roubos e furtos, além de um veículo modelo VW/Fox, cor vermelha, placa OZB 6042 e uma motocicleta Yamaha/YBR Factor, cor branca, placa OZB 7771, ambos com restrição de roubo/furto.

Equipes da PC e PM

Na operação, estiveram presentes agentes do Departamento de Narcóticos (Denarc), Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Divisão de Inteligência e Planejamento Policial (Dipol), Grupo Especial de Repressão e Buscas (Gerb); além da atuação de aproximadamente 150 policiais militares subordinados ao Comando de Policiamento Militar da Capital (CPMC). A elencar, o Comando de Operações Especiais (COE), Batalhão de Polícia Choque (BPChoque), Batalhão de Polícia de Radiopatrulha (BPRp), Pelotão de Polícia Ambiental (PPAmb), Companhia de Polícia Rodoviária Estadual (CPRv); e de equipes do Grupamento Tático Aéreo (GTA).

Fonte: SSP/SE

Última atualização em 2 de fevereiro de 2016 às 06:51:23.