Agentes de diversas Polícias Militares e Guardas Municipais do país, membros de equipe multidisciplinar (psicólogos e assistentes sociais) e entidades não governamentais que atuam em parceria com as Rondas, Patrulhas e Guardiãs participam do I Encontro das Rondas Patrulhas Maria da Penha, realizado em Salvador, na Bahia. Durante três dias, 23, 24 e 25 deste mês, os profissionais se reúnem para debater novas estratégias de enfrentamento à violência doméstica e familiar.

O objetivo é promover a integração das unidades policiais militares e das guardas municipais metropolitanas do Brasil que atuam no modelo de Patrulha Ronda Maria da Penha, para nivelamento e construção de apoio tecnológico às suas práticas.

O evento contou com a participação da capitã da Polícia Militar de Sergipe e comandante da Ronda Maria da Penha no estado, Fabíola Góes, destaque com a apresentação do projeto Maria da Penha e Mãos Amigas, selecionado entre os quatro melhores. A iniciativa da capitã Fabíola tem o proposito de levar palestras de orientação, apoio e prevenção sobre o tema da violência doméstica para o ambiente rural, especificamente para os cortadores de cana e trabalhadores envolvidos no ciclo de produção da laranja dos municípios sergipanos. “É uma oportunidade de causar reflexão nesses trabalhadores, que vivem em um ambiente predominantemente masculino, onde a violência doméstica é naturalizada,” explicou.

A idealizadora da Ronda Maria da Penha no estado da Bahia, major Denise Santiago da PMBA, aproveitou a oportunidade para agradecer a contribuição da representante sergipana. “Nesse período tivemos a exposição de ideias criativas que auxiliarão o nosso trabalho e, certamente, a presença da capitã Fabiola foi essencial para nos orientar como dialogar melhor com a população da região rural.”

Última atualização em 24 de setembro de 2019 às 03:26:52.