O objetivo é desenvolver ferramentas que otimizem as ações e tragam mais segurança para a unidade

O Comando de Operações Especiais (COE) iniciou um processo de diálogo com setores de uma faculdade particular de Aracaju para realização de trabalhos para o desenvolvimento de ferramentas que otimizem as ações e tragam mais segurança para as atividades da unidade.

“Nossa missão é extremamente especializada e não podemos falhar. Dependemos de uma série de equipamentos específicos e conhecimentos de várias áreas distintas. Firmar parceria com um centro de ensino e desenvolvimento que dispõe de profissionais capacitados e uma estrutura enorme de laboratórios é algo extremamente importante”, frisou um dos operadores do COE que trabalha na seção de instrução especializada da unidade.

Em reunião com o coordenador acadêmico da unidade, Ian Ribeiro, junto com a coordenadora do curso de Engenharia de Produção, Jaci Vilanova, foram discutidas possibilidades como o desenvolvimento de Braço Manipulador de Material Explosivo para uso do esquadrão antibombas, uso de impressora 3D para criação de ferramentas de treinamento policial, acompanhamento sobre os efeitos do estresse do combate para a tomada de decisão do policial, com apoio dos profissionais de psicologia, dentre outras formas de parceria que se mostraram promissoras.

“O COE divulgou através da imprensa que estava interessado no apoio das instituições de ensino para o desenvolvimento de projetos e nossos alunos nos procuraram de imediato muito interessados em fazer parte. Também ficamos motivados, pois trabalhos conjuntos com órgãos de relevância social vai ao encontro de nossa visão institucional de formar pessoas engajadas na busca de soluções para demandas da sociedade”, afirmou o coordenador acadêmico da Uninassau.

Fonte Ascom SSP

Última atualização em 28 de maio de 2019 às 08:40:12.