A Polícia Militar do Estado de Sergipe, por meio do Pelotão de Polícia Ambiental (PPAmb), flagrou na quinta-feira, 27, mais um crime ambiental na Zona de Expansão de Aracaju. Na ocasião, a própria guarnição lavrou o termo circunstanciado no local da infração, já que o crime era de menor potencial ofensivo e recentemente o Tribunal de Justiça de Sergipe autorizou a Polícia Militar a fazer tal procedimento.

Por volta das 8h30, a equipe composta pelo sargento Cristo, cabo Glaucus e soldado Aline foi acionada pelo CIOSP para averiguar a denúncia de que no Loteamento Paraíso do Sul, bairro Mosqueiro, um homem fazia uma grande escavação às margem do mangue, inclusive com o uso de uma retroescavadeira. No local, os policiais confirmaram a denúncia, flagrando um funcionário, a serviço de uma empresa, escavando uma área a poucos metros da vegetação de mangue.

Na abordagem, a guarnição identificou o proprietário do local e apurou que o mesmo mandara construir um reservatório de água, que serviria para o consumo dos animais.  Diante do ocorrido, foi explicado que, pela quantidade de material retirado do solo e a proximidade com o manguezal, aquela obra precisaria de licença dos órgãos ambientais, por estar em área de preservação permanente e ser potencialmente poluidora.

Como o dono da propriedade, um senhor de 70 anos, alegou desconhecer a obrigatoriedade de se obter a licença ambiental e pelo crime ser de menor potencial ofensivo, a guarnição lavrou o Termo Circunstanciado de Ocorrência por crime ambiental previsto no artigo 60 da Lei 9.605 (Lei de Crimes Ambientais), para posterior acionamento por parte da justiça.

Última atualização em 29 de agosto de 2015 às 12:42:36.