Com o objetivo de capacitar toda a tropa operacional do Grupamento Especial Tático de Motos (Getam), dentro da doutrina prevista na unidade, a Polícia Militar de Sergipe iniciou, na manhã desta segunda-feira, 18, o II Curso de Especialização em Táticas e Ações com Motocicletas (Cetam).

A abertura do curso aconteceu na sede do Getam, localizada na Avenida Maranhão, em Aracaju, e contou com a presença do fundador da Unidade Especializada e atual subcomandante do Policiamento Militar da Capital, tenente-coronel Gilmar Santana.

“É uma grande satisfação estar presente na abertura do curso, pois, desde 2009, quando fundamos o Grupamento, buscamos especializar ainda mais a tropa. Sabemos que a unidade exige um processo de capacitação constante, e o comandante-geral da Polícia militar sensível a essa questão autorizou a realização do II Cetam. É importante lembrar que, atualmente, o Getam é considerado uma das melhores unidades de motopatrulhamento do Brasil e, por isso, pretendemos enriquecer ainda mais o nosso material humano e fortalecer a filosofia implantada pelo comandante da Corporação, de valorizar cada vez mais o policial militar”, comentou.

O Curso de Especialização iniciou com 40 policiais militares inscritos, sendo que, dois deles, integram a Polícia Militar do Estado de Alagoas. As aulas serão ministradas de segunda a sábado, dentro de uma matriz curricular composta por disciplinas como Doutrina Getam, Pilotagem Básica, Avançada e de Escolta, Legislação de Trânsito, Uso diferencial da Força e Estágio Supervisionado, num total de 365 h/aulas.

“Os integrantes do Getam precisam utilizar muita técnica e disposição para conduzir uma motocicleta de alta cilindrada, em alta velocidade. Então, vamos trabalhar a condição física do policial e depois entrar com disciplinas teóricas e práticas. Para isso, contamos com excelentes instrutores, formados Cavaleiros de Aço, para, justamente, adaptar as disciplinas à vivencia do militar no motopatrulhamento”, explicou o comandante do Getam, major J. Luis.

A expectativa é de que todos os alunos do curso atinjam os requisitos mínimos para conduzir a motocicleta com segurança e destreza, observando seu posicionamento no grupamento.

“Trabalhamos com cinco homens em quatro motocicletas e todos devem ter ciência dos seus posicionamentos e como cada um deve agir durante as ações de abordagens, de possível troca de tiros, de policial ferido, entre tantas situações. A segurança é a base da nossa doutrina, por isso devemos cuidar da nossa segurança e das pessoas que atendemos. Proteger o cidadão sergipano é a nossa meta”, afirmou o major.

Última atualização em 18 de outubro de 2021 às 11:23:40.