A Coordenadoria de Cursos para Magistrados da Escola Judicial de Sergipe (Ejuse) realizou, nos dias 6 e 7 deste mês, o Módulo II do Curso Teórico e Prático de Armamento e Tiro. Planejada para treinamento de magistrados e do efetivo militar à disposição do Poder Judiciário sergipano, a capacitação é ministrada pelo major da Polícia Militar do Estado de Sergipe, Josebel Silveira do Nascimento.

“O curso é voltado para defesa pessoal, com técnicas muito específicas para o dia a dia deste público, que são os agentes de segurança e também os magistrados. Na aula teórica, abordamos o uso de técnicas novas, seguras e com muita funcionalidade. Na aula prática, fazemos um laboratório para internalizar a técnica e identificar o objetivo e sua aplicabilidade”, explicou o major Nascimento, que é também Comandante do Centro de Treinamento Operacional da Polícia Militar e instrutor de tiro.

Dentre os assuntos tratados no curso, destacam-se técnicas não ortodoxas voltadas para o confronto armado, a curtíssimas distâncias, sob ângulos complexos, por vezes, em movimento; sobrevivência (defesa pessoal) diante do confronto armado; tiro em movimento; e combate velado.

Para o Diretor da Ejuse, desembargador Osório de Araújo Ramos Filho, trata-se de uma capacitação continuada, porque é necessária a renovação dos conhecimentos. “Como o magistrado tem permissão legal para portar arma, então, ele deve ter o conhecimento da arma que porta, da sua correta utilização, sem exposição. O juiz deve utilizar técnicas que primem pelos princípios que norteiam a segurança, não apenas para ele, magistrado, mas também para as outras pessoas”, pontuou o diretor, que participou do módulo I.

De acordo com o Diretor de Segurança do Tribunal de Justiça de Sergipe (TJSE), Flávio Sandro Albuquerque Souza, a capacitação contínua é uma das ações da Diretoria de Segurança do TJSE objetivando a melhoria da segurança de autoridades, um dos pilares da segurança institucional.

“O curso tem foco na segurança de autoridades. Essa turma visa capacitar os magistrados e militares em técnicas de combate avançado, em situações que exigem muito controle em cenário adverso. É ultrapassado em muito o conceito de tiro estático”, salientou o diretor.

Para o Presidente da Associação dos Magistrados de Sergipe (Amase), o Juiz de Direito Roberto Alcântara, o curso é oportuno e se faz necessário. “O magistrado precisa ter a noção dessas regras e táticas de segurança e compreender qual a sua função como pessoa a ser protegida e qual a função também dos agentes de segurança. Esses cursos proporcionam essa compreensão, ministrados por agentes com expertise, e a Amase está sempre presente, junto com a Ejuse e o TJSE, na capacitação dos juízes”, considerou, ao acrescentar que outras capacitações serão realizadas ainda este ano de 2022.

O Curso Teórico e Prático de Armamento e Tiro é fruto de um convênio de cooperação técnica e parceria entre o TJSE, a Ejuse, a Comissão de Segurança Institucional do Poder Judiciário sergipano, a Amase, e a PMSE.

Fonte: Agência de Notícias do TJSE

Última atualização em 9 de maio de 2022 às 11:35:26.